terça-feira, 29 de novembro de 2011

ESQUERDISTAS SELVAGENS DEFENDEM DITADORES SELVAGENS

A informação é do Clóvis Rossi (ver íntegra aqui):
"O relatório da comissão da ONU que investigou a violência na Síria (...) é duríssimo: diz que as forças de segurança sírias cometeram 'graves violações dos direitos humanos', o que inclui execuções sumárias, prisões arbitrárias, desaparições forçadas, torturas, violência sexual, violação dos direitos das crianças -enfim o catálogo completo a que recorrem as ditaduras mais selvagens.

Para o Brasil, não dá mais para repetir a torpe declaração emitida após visita de uma delegação do Ibas (Índia, Brasil e África do Sul) a Damasco, na qual condenaram 'a violência de todas as partes'. Equivalia a igualar vítimas e algozes.

Agora, há um relatório com a chancela de Paulo Sérgio Pinheiro, o brasileiro que preside a comissão..."
O qual, acrescento eu, é um personagem acima de qualquer suspeita de favorecer manobras imperialistas.

Foi, p. ex., indicado pela Comissão de Mortos e Desaparecidos do Ministério da Justiça para representar a sociedade civil no grupo de trabalho que preparou o anteprojeto de lei da Comissão Nacional da Verdade. Constitui exemplo inatacável de dignidade e idealismo, sempre colocando seu brilho intelectual a serviço das causas justas. Uma unanimidade, enfim.

Então, a habituais desqualificações a que recorre uma parcela da esquerda tão selvagem quanto os ditadores que apoia, neste caso não  colarão.

O que me deixa estupefato é a defesa em bloco que tais desatinados fazem dos  tiranos das Arábias.

Um Gaddafi da vida, embora não tenha chegado ao poder graças a revolução nenhuma, mas sim por meio de uma quartelada, teve lá seus rompantes antiimperalistas antes de acertar os ponteiros com os senhores do mundo (revelando grande afinidade com o que o Império tinha de pior, o fascistóide, mafioso e debochado Sílvio Berlusconi).

É algo de que ninguém jamais acusaria o  açougueiro de Damasco, Bashar al-Assad, despótico, conservador e reacionário até a medula, desde sempre.

A vergonhosa tibieza do Governo brasileiro face a uma das piores tiranias do século 21 se deve tão somente a interesses econômicos. Uma variante do  critério  de que "ele pode ser um grandíssimo fdp, mas é nosso fdp".

A esquerda não caudatária do petismo, entretanto, está desobrigada de coonestar o oportunismo governamental.

Mesmo assim, com um primarismo abissal, os esquerdistas selvagens encaram a mais do que necessária derrubada de al-Assad como uma tramóia dos países da Otan para apoderarem-se de riquezas sírias.

Ainda que assim fosse, que cabimento tem tomarmos partido em disputa na qual ninguém é antagonista do capitalismo? Se são só vilãos brigando por um butim, o que importa para nós qual vilão prevalecerá?

Mas, a própria razão de ser da esquerda é defender o povo contra os que o tiranizam e massacram. São milhares as vítimas fatais do  açougueiro de Damasco nos oito últimos meses, 256 crianças incluídas. Até a Liga Árabe vê premência em deter-se a matança.

Estarrecedores também são os casos citados no relatório de abusos sexuais contra menores, como um jovem de 15 anos violado na presença do pai.

O hipotético repúdio à Otan implica o bem real repúdio ao povo sírio e uma vergonhosa cumplicidade com a carnificina que lhe é imposta.

Está mais do que na hora de voltarmos a ter um ideário positivo, priorizando o que se afirma e não o que se nega. Direcionar-se apenas por negações, como uma bússola invertida da imprensa burguesa, nem sempre leva à posição correta e às vezes desemboca em absurdos.

Caso atual: é um completo absurdo a promiscuidade dos herdeiros de Karl Marx com um herdeiro de Vlad Dracul.

3 comentários:

  1. Grande post Celso, obrigado por acreditar nesse projeto revolucionário!!!

    ResponderExcluir
  2. Amigo, eu sou muçulmano e informo que esse seu texto esta mentindo, contém inúmeras mentiras. É facil criar argumentos baseados em mentiras.

    A lista de mortos é falsa e foi tirada de uma lista telefonica, uma pesquisa rapida mostra que várias pessoas dadas como mortas estão vivas.

    A siria só atira em grupos armados, que são armados por grupos pela CIA e MOSSAD. O objetivo dos EUA e Israel é derrubar o governo sirio (que apoia o militarismo palestino) para assim facilitar para israel a conquista dos territorios palestinos.Outro fato é que a siria não vende petroleo por dolar , o que enfraqueceu o dolar como moeda global e ajudou a falir os EUA com sua imensa divida de 15 trilhões de dolares(30 trilhões de reais), o outro objetivo é criar um governo fantoche sirio que venda petroleo em dolar ,desta forma basta os EUA imprimir dinheiro em seu banco central e conseguir petroleo de graça.

    Tenha vergonha na cara amigo e pare de retratar mentiras para as pessoas, faça um texto contando sobre a ditadura bipartidarista dos EUA onde só tem 2 partidos que governam o país a décadas e nem sequer tem eleições diretas, quem elege o presidente americano são os delegados da federação.Os EUA fizeram 40 guerras nos ultimos anos e mataram mais de 20 milhões de pessoas.

    "Liga arabe" que vc informa são ditaduras pro-EUA da arabia saudita, kwait, qatar , bahein e etc, locais onde curiosamente não ha protestos, claro pois os protestos são fabricados pela CIA e pela midia americana.

    Faça um texto mostrando sobre os 2 milhões de muçulmanos mortos por israel desde 1948 que testa arma quimica em criança de 9 anos.Faça um texto mostrando como os EUA atraves da OTAN jogaram armas de destruição em massa com fosforo branco e uranio empobrecido na iuguslavia,iraque e afeganistão, faça um texto mostrando o massacre americano atraves da OTAN na libia com genocidio em massa igual no nazismo em sirte e outras cidades numa guerra que esta começando e não acabou como a midia americana contou(como contaram a 10 anos atras que a guerra do afeganistão tinha acabado e ela esta ai ate hoje) e pare de ser covarde e defender os maiores vilões de todos os tempos que são a corja sectarista,racista e mentirosa dos EUA.

    ResponderExcluir
  3. Saiu na Carta Capital que existe um tal de Exército Sírio Livre, composto por 20 mil homens, supostamente desertores das FFAA oficiais da Síria. Temos, portanto, uma situação de guerra civil. Essa informação é consistente com panfletos do Partido Comunista Unificado Sírio (publicados em inglês, no site oficial do partido), que afirmam que a ditadura saudita (i.e., os EEUU) estão financiando e armando grupos armados oposicionistas, que vêm atacando as forças oficiais de Assad. Diga-se de passagem, isso coloca a oposição democrática síria, que lutava pacificamente por reformas, no fogo cruzado entre as forças oficiais e os mercenários pró-imperialistas. Creio que, sem essa ingerência, a oposição democrática síria conseguiria obrigar o governo a realizar reformas, e talvez até depô-lo e eleger um novo governo e uma assembléia constituinte.
    Portanto, não é o repúdio À Otan, mas sim a ausência deste repúdio, que implica em justificar o ataque ao povo sírio.

    ResponderExcluir